Domingo, 18 de Maio de 2008

Naquele dia tinha tempo (continuação)

Naquele dia tinha tempo. Sentou-se frente ao espelho e olhou bem para dentro de si. Estava cansado e não tinha bem a certeza se era dele próprio ou dos outros, ou dela.
Sentia aquele “contentamento descontente”, aquele querer senti-la sempre, sem nunca deixar de sentir os outros. Sentia a solidão de uma forma que a fazia sentir-se mais uma pedra no caminho.
Ela apenas sabia que nem todas as pedras são necessariamente obstáculos e reconhecia aquele tipo de solidão, aquela nostalgia do passado, aquele desejo de voltar às conversas sem peso, às conversas que flúem numa espécie de comédia crescente.
Afinal, as noites não podem ser sempre sérias, não podem ser uma eterna discussão das nossas mentes, dos nossos códigos secretos. Não podem ser sempre os caminhos já tantas vezes percorridos, nem a confissão dos dias mais sóbrios e sofridos, o choro, e as lamentações inválidas.
Ela compreendia isto, já passara por ali, já desejara guardar esses momentos inaugurados, para depois os libertar em bandos selvagens, dando à vida um sentido menos sofrido.
Agora desejava ser o roteiro de uma longa viagem, o cavaleiro de todos os desejos ousados, só para o libertar daquele eterno sentir solitário.
Tinha chegado ali, num dia qualquer. Tinha gostado e fora ficando. Reconhecera o terreno acidentado, o constante desejo de mudança, a insatisfação de uma alma que procura fora de si algo que lhe diga que não está só, que as noites podem ser uma aventura fantástica, um filme surrealista...
Era como se subitamente tivesse acordado e todas as coisas que faziam parte dele, tivessem desaparecido.
Era como se subitamente tivesse vontade de rir e o riso não viesse porque faltava alguém, faltava o eco dos outros.
 

publicado por perdalascada às 10:38
link do post | comentar | favorito
Sábado, 27 de Outubro de 2007

Valter Hugo Mãe venceu Prémio Literário José Saramago 2007

Valter Hugo Mãe venceu Prémio Literário José Saramago 2007

Parabéns Valter!
É um grande orgulho para todos nós este prémio.
O poeta e editor Valter Hugo Mãe venceu a edição de 2007 do Prémio Literário José Saramago com a obra “O Remorso de Baltazar Serapião”.
Vila do Conde é realmente uma fonte de coisas boas…
 
Viva o Valter!
publicado por perdalascada às 17:07
link do post | comentar | favorito

*mais sobre mim

*pesquisar

 

*Outubro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

*posts recentes

* Naquele dia tinha tempo (...

* Valter Hugo Mãe venceu Pr...

*arquivos

* Outubro 2013

* Setembro 2013

* Setembro 2010

* Agosto 2010

* Julho 2010

* Abril 2010

* Março 2010

* Fevereiro 2010

* Janeiro 2010

* Dezembro 2009

* Novembro 2009

* Setembro 2009

* Julho 2009

* Junho 2009

* Maio 2009

* Abril 2009

* Março 2009

* Janeiro 2009

* Dezembro 2008

* Novembro 2008

* Setembro 2008

* Agosto 2008

* Julho 2008

* Junho 2008

* Maio 2008

* Abril 2008

* Janeiro 2008

* Dezembro 2007

* Novembro 2007

* Outubro 2007

* Setembro 2007

* Agosto 2007

* Julho 2007

* Junho 2007

* Maio 2007

* Abril 2007

*tags

* todas as tags

*Boas ligações

*Ai as horas...

*Quero saber quando há coisas novas

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

*Search Engine

Submit your website to 20 Search Engines - FREE with ineedhits!

*Google

border="0" ALT="Google" align="absmiddle">

*Quantos se perderam por aqui?

blogs SAPO